31 de mai. de 2018

O Respeito com o Quilombo Pedra do sal

Por que desde 2016 o processo de regularização fundiária do Quilombo Pedra do Sal se encontra parado em  Brasilia aguardando publicação da Portaria de Reconhecimento de Domínio pelo Presidente do Incra .

Em nossa dura  realidade  brasileira ha uma grande verdade o programa Ponte para o Futuro.
 Este programa destina-se a preservar a economia do livre mercado e torna viável o lucro dos seus investidores  excluindo  políticas sociais que  criam oportunidades para todos. 
E como fica os Quilombos ,assim ...

As terras de quilombos são territórios étnico-raciais com ocupação coletiva baseada na ancestralidade,  parentesco e em tradições culturais . Elas expressam a resistência as formas de dominação e a sua regularização fundiária está garantida pela Constituição Federal de 1988.
O Decreto 4.887/2003 define que o INCRA  é o órgão federal responsável pela titulação dos quilombos. Para fins de regularização fundiária, o INCRA elabora Relatórios Técnicos de
Identificação e Delimitação (RTID) que reúnem informações fundiárias e cadastrais das famílias, bem como a caracterização antropológica,histórica, econômica e ambiental da área quilombola. 
O objetivo da parceria entre INCRA, CGPCT e NEAD (MDA) e UFMG é sistematizar e dar publicidade às informações contidas nos RTIDs. Esse material,esta disponivel em livretos que testemunham a continuidade de uma luta .
A publicação dos livretos visa,  contribuir para o reconhecimento das comunidades quilombolas, estimulando a difusão de informações . As histórias de resistência quilombola agora podem ser conhecidas .

O Quilombo Pedra do Sal fica na zona portuária da cidade do Rio de Janeiro, no entorno da Pedra do Sal, do Largo João da Baiana e da Rua São Francisco da Prainha. Com uma história de resistência que remonta ao período do tráfico negreiro, os quilombolas reivindicam
um território formado por residências tradicionalmente ocupadas
desde a época de seus antepassados, território chamado de Pequena África, foi o berço do samba e das primeiras escolas de samba do carnaval.
De Pedra da Prainha a Pedra do Sal
Foi residência secular de escravizados,ex-escravos, negros libertos, negros livres e, agora, de seus descendentes. O local é o centro do patrimônio histórico
e cultural negro da zona portuária do Rio de Janeiro.
Sendo tombado oficialmente em 1987 como patrimônio
material do estado do Rio de Janeiro, expressando a valorização da memória negra na cidade e o reconhecimento da religiosidade de matriz afrobrasileira, sendo o primeiro local conhecido  como espaço de oferendas aos Orixás .

A região é fortemente marcada pelas atividades portuárias , por praticantes de religiões de matriz afrobrasileiras e pela criação dos primeiros ranchos carnavalescos do Rio, onde surgiu o bloco Afoxé Filhos de Gandhi e  a escola  de samba   Império Serrano.
A história da presença negra no lugar remonta à época em que toda a região era conhecida como Prainha, o Marquês do Lavradio – então Vice-Rei e Capitão Geral de Mar e Terra – a escolher a região do entorno da Pedra do Sal para o crescente para o comércio de africanos escravizados . 
A intenção de mantê-lo em uma região mais afastada era devido em parte à crueldade e a insalubridade do negócio. Mas, principalmente,pelo fato de os moradores da cidade se queixarem do terrível espetáculo de retirada dos corpos de escravizados mortos durante a viagem da África ao Rio. A paisagem do entorno da Pedra da Prainha passou a ser caracterizada por uma forte presença negra, tanto dos novos africanos quanto dos mais antigos.Uma vitoria foi conquistar a candidatura a Patrimônio Cultural da Humanidade, compreendendo Pedra do Sal, o Cais do Valongo,o maior porto a ter recebido pessoas escravizadas nas Américas, e o Cemitério dos Pretos Novos, onde eram enterrados os jovens escravizados que morriam na travessia transatlântica. Entendemos que não
se protege o patrimônio sem proteger as pessoas, e essas pessoas somos nós, os quilombolas.

O Adeus ao Pool-kot

Os estivadores de Antuérpia dizem adeus ao ponto de escalação
Hoje é o último dia do ponto de escalção, o centro nervoso do porto

Depois de hoje é feito com , a lendária sala de engajamento dos estivadores de Antuérpia. De agora em diante, tudo será digital. O fim de uma era. "Eles querem destruir nossa espinha."

 O distrito de Cadix, logo acima da Antuérpia Eilandje, está em plena transformação. De bairro portuario com armazéns e muita vaga para um bairro badalado com apartamentos , hospital e casa de repouso. Os cafés folclóricos castanhos estão sendo substituídos por  bistrôs - com  interior retrô . Os paralelepípedos soltos  agora estão polidos.


Onde ficava a antiga doca dos estivadores, um prédio reluzente. Do outro lado da rua está o ponto de escalação, o lugar onde os estivadores se juntam para o seu turno. Mas esse último bastião também deve se tornar um prédio .


Acabará não haverá, mais conferentes , nem foreman  chamando os estivadores  necessários, nem mais homens com macacões laranja  A digitalização assume o controle. Através de um aplicativo, eles serão agora engajados de seus celulares ou computadores . O fim de uma era. Mas a digitalização também oferece benefícios. Afinal, os estivadores também vivem no ano de 2018 e com um registro on-line .
A ideia de acabar com o pool ,KOT  ou ponto de escalação e um primeiro passo no entender do especialista para acabar com a coletividade da profissão, esta sim sua espinha dorsal .
Uma pena é  um lugar onde os estivadores gostam de se unir e compartilhar o seu amor e sofrimento , agora tudo tem que ser feito através de um iPad que às vezes não funciona , um relacionamento frio e distante .
Se busca enterrar o contato social   e  o enterrando abri se  um caminho de individualidade que a pedra fundamental do livre mercado o capital , este momento e a realização de um  sonho de anos dos especialistas.
A  Verdade e triste apesar de todos os esforços , o bom e velho porto se foi! Para alguns e o começo do fim e para outros somos uma raça em extinção.
Nem todos os estivadores  são s melhores amigos, mas há uma solidariedade especial dentro da beira do cais . No cais , suas vidas  dependem literalmente um  dos outros. 
Você não encontra essa camaradagem em nenhum outro lugar. E é com um salario descente .
Todos os anos, alguns acidentes fatais ocorrem no porto. Em 2017 foi um , mas em 2015 foram quatro mortes. 
Alem disso no ponto de escalação estão os  representantes das empresas portuárias, do sindicato e do VDAB ( ogmo belga ). Se houver um problema, ele será imediatamente levantado e explicado .Duas semanas atrás, houve um acidente  com straddle carrier  ,e se averiguou  defeitos na estabilidade . Por existir  o pool, sabemos disso imediatamente. Ninguém quer trabalhar lá até que isso seja resolvido. Você não pode fazer algo assim on-line. Quem vai orientar esses jovens estivadores? "

No auge,  milhares estivadores reuniam-se no Cadixstraat. Agora  com a mecanização e a semi automatização ainda há dezenas . Três turnos já entraram na era digital no ano passado; a partir de amanhã também  se juntara o turno da tarde.


Para os,  estivadores o ponto de escalação  é a pedra angular do trabalho no cais. Esta decisão foi imposta aos trabalhadores  pelos políticos .


Eu mesmo que tive a honra em 2014  de poder adentrar no ponto de escalação dos estivadores do Porto de Antuérpia e ver meus colegas de trabalho belgas se engajando levantando o braço e pegando seu cartão de embarque .
Foi 10 , ainda ,mais  que vários professores e especialistas portuários de Santos ,diziam que somente havia trabalho avulso nos porto brasileiros ,então imagina ha minha cara e as emoções que senti naquela dia .Sera que eu estava sonhando , não era real , pois me belisquei e doeu . Mas uma frase dita por um promotor publico vinha a cabeça " Santos e o ultimo lago do Cisne ".

https://www.demorgen.be/binnenland/antwerpse-dokwerkers-nemen-afscheid-van-t-kot-ze-willen-ons-hier-niet-meer-b05600bd/

30 de mai. de 2018

Porque do Por que Ha na FRANÇA GREVE


Os trabalhadores do serviço público  estão em luta. Na realidade, os movimentos sociais são combatidos pela imprensa escrita e televisionada .Manchados como de  interesses corporativistas. 
França, campeã  de greves? Mais realmente. O Ministério do Trabalho confirma isso, a "conflitualidade" de acordo com as estatísticas oficiais, 0,13% das empresas sofreram uma paralisação em 2015, em comparação com uma média de 0,20% na década anterior. Em um número anual de dias de trabalho parados,  em 70 por 1.000 funcionários, em comparação com mais de 250 nos anos 70. De fato,  o transporte. Não só as paralisações de trabalho representam uma inconveniência aos usuários,  os controladores aéreos  são responsáveis ​​por 50% dos movimentos na Europa, enquanto respondem por 20% da população do Velho Continente. Em média, os sindicatos da SNCF registram um aviso a cada três dias e a Air France administra duas paralisações por ano. Quando a recepcionista ganha algum direito, a equipe de terra entra em movimento, o que motiva os pilotos e assim por diante.

Para as empresas envolvidas, a fatura desses conflitos é às vezes redução de lucro: a SNCF, por exemplo, sabe exatamente quantos TGVs permaneceram na plataforma. Por outro lado, para os milhões de usuários envolvidos, o custo econômico pessoal e psicológico desses bloqueios é infinitamente mais difícil de calcular. 
Os portos franceses, por exemplo, provavelmente nunca esquecerão dos 150 dias de greve que os estivadores de Marselha acumularam entre piquetes e  marchas  entre 2008 e 2010. 

Laurent Brun, secretário nacional da CGT Cheminots, perdeu 249 milhões para a SNCF no ano passado
 Aos 38 anos, esse filho e neto de um trabalhador ferroviário se juntou ao movimento social , com esta vivencia  se tornou um sindicalista anti pelego. 
Erik Meyer, secretário federal da SUD Rail, ajudou a paralislar 250 trens no RER A em 12 de dezembro
Este ex-motorista de comboio de carga, que se tornou secretário federal da união SUD Rail em 2016, acha a CGT muito amigavel, isso significa tudo. Ele pediu  uma greve geral ilimitada da SNCF até a retirada da reforma Macron. 
Jacques Eliez, Secretário Geral da CGT-RATP, impõe a manutenção de 4.000 funcionários  em sua empresa
Ele nem precisa entrar em greve para obter satisfação! Para o governo, a interrupção do serviço de autocarro, metro e RER em Paris é realmente o pior que se possa imaginar desastre social - a memória de 1995 , deixou claro que parte da sociedade só da valor a algumas profissões quanto não pode delas usufruir . 
Hervé Techer, delegado central SUD RATP
O apelo para greve em 10 de junho de 2016, data de abertura do futebol do Euro, contra uma lei trabalhista que não dizia respeito à RATP, mas sim a grande parte da sociedade francesa  , um movimento de solidariedade, algo que os jornalista e seus patrocinadores não compreendem . RER A e B em 2016 de dezembro de Metro Linha 12 em 2018 janeiro, entre outras para contornar a lei de 2007, que exigia a consulta e dentro de treze dias antes de uma greve,  aviso prévio de cruzada de braços.
Tony Hautbois, secretário geral da CGT Portos e armazéns  
Sua última grande greve movimento social  remonta a 2011, dos estivadores estão lá. Em outubro de 2017, o governo imediatamente fez concessões à lei trabalhista para manter a paz na beira do cais  calmas. 
Philippe Evain, presidente do Sindicato Nacional dos Pilotos de Linha Aérea (SNPL)
 Ele desempenha agora o mapa da unidade sindical,  conseguindo para os seus associados  um salario digno.
Jérôme Vérité, da CGT Transportes, com fama de duro na queda luta, virou ativista aos 24 anos, é a origem dos postos de combustível ,lutou contra Lei El Khomri, por vezes, para reivindicar um 13 º mês para os motoristas, às vezes para torpedear o projeto de lei do trabalho. 
Helmi Mamlouk, Secretário Geral FO-CAPA-VTC, 
 e um caso interessante , tem  38 anos,  filho de um delegado do FO Santé é tanto sindicalista quanto patrão: ele foi co-fundador da plataforma Airport-cab.fr, que quer competir com o Uber. Especializada em servir aeroportos.

Greve é a cessação coletiva e voluntária do trabalho realizado por trabalhadores com o propósito de obter direitos , benefícios , melhoria das condições de trabalho ou  para evitar  perdas sociais. A palavra origina-se do francês grève, com o mesmo sentido, proveniente da Place de Grève, em Paris, na margem do Sena, outrora lugar de embarque e desembarque de navios e depois, local das reuniões de desempregados e operários insatisfeitos com as condições de trabalho. O termo greves significa, originalmente, "terreno plano composto de cascalho ou areia à margem do mar ou do rio", onde se acumulavam inúmeros gravetos. Daí o nome da praça e o surgimento etimológico do vocábulo, usado pela primeira vez no final do século XVIII.

Originalmente,  o empresário atendia total ou parcialmente as reivindicações para que pudessem evitar maiores reduções de lucros devidos à ociosidade.Para grsande parte a imprensa e dos seus patrocinadores ,greve e uma conduta antissocial, nocivos ao trabalho e ao capital e incompatíveis com os  interesses da produção nacional e do mercado financeiro.

Desta , varias  formas de se defender.
Greve branca: Mera paralisação de atividades, desacompanhada de represálias;
Greve de braços cruzados: Paralisação de atividades,  no lugar de trabalho sem efetivamente trabalhar;
Greve de fome: O grevista recusa-se a alimentar-se para chamar a atenção das autoridades, ou da sociedade civil, para suas reivindicações;
Greve geral: Paralisação de varias classes de trabalhadores . 
Greve selvagem: Iniciada e/ou levada adiante  pelos trabalhadores, sem a participação do sindicato que representa a classe;
Operação-padrão  Consiste em seguir rigorosamente todas as normas da atividade, em lentidão plena no andamento de baixa produção. .
Estado de greve: Alerta para uma possível paralisação
https://www.capital.fr/economie-politique/ces-onze-syndicalistes-sont-les-champions-de-france-de-la-greve-1290312

Entrega vipt vapt

Hyperloop para carga tem como objetivo entregar a mais de 600 km / h

Uma colaboração entre a Virgin Hyperloop One, e a DP World, empresa logística mundial dos Emirados, busca sacudir a indústria de transporte de cargas usando cápsulas super-rápidas para o transporte de cargas terrestres. Chamado DP World Cargospeed, o empreendimento afirma que será capaz de "entregar frete na velocidade do voo e próximo ao custo de transporte". Nenhum detalhe do preço do frete foi anunciado até o momento.
A tecnologia totalmente elétrica da Hyperloop - ainda em fase de testes - usa uma cápsula selada dentro de um tubo de vácuo, impulsionada por levitação magnética.
 O ambiente de baixa pressão reduz o arrasto, permitindo que altas velocidades sejam alcançadas. Originalmente concebido pelo empresário Elon Musk, a ideia está sendo desenvolvida por várias empresas. Até agora, a cápsula de teste da Virgin Hyperloop One atingiu velocidades de 387 km / h (240 mph), mas a empresa prevê que enviará carga a uma velocidade máxima de 1.000 kmph (621 mph).

Em um post no blog do CEO da Virgin Hyperloop One, Rob Lloyd,  calculou que uma viagem de caminhão de quatro dias poderia ser reduzida para 16 horas. Enquanto os custos são estimados em 50% mais altos do que no trânsito de caminhões, a Cargospeed acredita que pode ser cinco vezes mais barata que o frete aéreo.
O sistema Hyperloop One é projetado tanto para uso de carga quanto de passageiros. A Virgin Hyperloop One está negociando projetos nos Emirados Árabes Unidos, Índia e Arábia Saudita - todos estão disputando a primeira linha totalmente funcional. Uma rota entre o centro de Dubai e Abu Dhabi reduziria o tempo de viagem de 90 minutos para 12 minutos.
De acordo com o Washington Post, uma proposta da DP World é usar a tecnologia hyperloop para transportar a carga do movimentado porto de Jebel Ali, no Dubai, para armazenamento no deserto que rodeia a cidade.
Richard Branson, que se tornou presidente da Virgin Hyperloop One em 2017, citou o crescimento do comércio eletrônico como o fator determinante por trás de "uma mudança dramática no comportamento do consumidor e do negócio" - e para o qual o negócio de entregas está se adaptando.
Espera-se que o comércio eletrônico global cresça para um montante de US $ 4,1 trilhões até 2020, e o desejo de entrega rápida está se tornando uma expectativa. Segundo Lloyd, estima-se que a entrega expressa para remessas de alta prioridade se torne um negócio de US $ 516 bilhões até 2025.
No anúncio, bens sensíveis ao tempo, como alimentos e suprimentos médicos, foram destacados como itens que poderiam se beneficiar da velocidade do hyperloop. Renders liberados com o anúncio sugerem que há planos para integrar a entrega de drones na cadeia de suprimentos também.
Dubai tornou-se uma incubadora de inovação em transporte nos últimos anos, incluindo vários veículos autônomos, tanto no ar quanto no solo.

Em fevereiro deste ano, um protótipo de hyperloop em grande escala foi revelado pela Autoridade de Transporte e Estradas de Dubai, com autoridades especulando que um serviço de Dubai-Abu Dhabi poderia acomodar cerca de 10.000 pessoas a cada hora.
A rota do hipermercado de Dubai ainda está para ser anunciada, mas Lloyd diz que o empreendimento pretende ter um sistema operacional em serviço até 2021.
https://edition.cnn.com/2018/05/04/tech/hyperloop-dp-world-cargospeed-announcement/index.html

29 de mai. de 2018

Apoio aos caminhoneiros

Greve dos caminhoneiros tem apoio nas ruas das cidades Portuárias
pois seus trabalhadores em grande maioria sabem da importância  da organização da sociedade como que as  ações coletivas onde os indivíduos tem como objetivo alcançar mudanças sociais através da luta.

Este tipo de expressão representa  um movimento de resistência que luta contra as politicas do programa Ponte para o Futuro.

Algumas opiniões .
"Sou favorável" é a frase mais ouvida quando se fala do movimento social. 
 “Sou favorável às manifestações”.  “Estou aqui apoiando a greve porque não tenho mais gás para trabalhar”,  “O botijão está custando 100 reais, é impossível comprar”. 
 “Já esperamos muito dos políticos”,  “Não tem problema. Estamos com os caminhoneiros”. “É um mal necessário”, “A semana está parada, mas é por uma boa causa”,  “Faz muitos anos que temos prejuízos, não é por causa dos caminhoneiros”. “As coisas estão paradas faz tempo. Parou de chegar remédio aqui faz muito tempo”. 
“Acho que o povo brasileiro tem noção e as coisas não chegariam a esse ponto, só é preciso tirar esse Governo. Se tiraram o Collor e a Dilma, por que não pode tirar o Temer?”

Estivadores e doqueiros de Santos cruzaram os braços por 6 horas em apoio  ao protesto dos caminhoneiros,  na última segunda-feira (28/5) .mas isto também ocorreu em Vitoria,  Imbituba, Rio Grande ,São Sebastião e Rio de janeiro .

Manifestação é um ato coletivo em que os cidadãos se reúnem publicamente para expressar uma opinião contraria a política de mercado que e aceitável ser praticada por uma empresa privada ,mas não por uma estatal . É habitual que se atribua a uma manifestação um êxito tanto maior quanto maior o número de participantes. O objeto das manifestações são a busca por um pais melhor.

Na Tv nossos jornalistas berram aos 4 cantos que o preço e global .
Segue o preço da gasolina em alguns países e tirem suas próprias conclusões 
O valor da Gasolina Arabia Saudita 0,90 ,Argélia 1,19 no Paraguaí 2,21 na Argentina 3,99 na Bolívia 1,99 no Uruguai 5,99 , 4,45 no Chile , 4,06 no Canada ,EUA 2,71,Hong Kong 7,20 e Islândia 6,68 .
Ficando claro que o preço do combustível não e global .
Que os países importadores de gasolina pagam mais caros do que os exportadores de gasolina havendo exceções. 
E novamente a TV e os especialistas econômicos deixam a desejar .

28 de mai. de 2018

Você já se perguntou

É cedo  e o sol nasce 
Pulo na bike e pedalo pela ciclovia pro cais 
Cheguei às seis , a parede estava lotada
Sem tempo de ate pensar
O diretor repetiu  a cantada
Mas to com a cabeça na noite passada
Com outro pecado
De volta aos meus pensamentos 
onde vou ,qual terno 
Escolho  o trabalho e ergo minha carteira preta 
Vou a maquina e registro 
Com a posse da pule
Passo na catraca e pulo na bike 

De volta aos meus pensamentos 
Sinto a falta daqueles  companheiros 
Que tive o prazer de conviver
Dos conselhos de Benigo pulga 
Do sambinha do Luizinho das cabras 
Do sorriso do Fat 
Da palavra do Antemor 
Familias  destruídas por uma carga
E penso na minha Familia 
E escuto minha  mãe 
Se cuida 
Estou rezando por voçe

Você já se perguntou
Se todos nos  vivemos sob o mesmo sol
E todos somos estivadores 
Então por que, por que esta doença 
Esta nos comendo vivos 
Envenenado a cada lingada 
Dose a dose 
Nos tornando   cordeiros, se curvando para o sacrifício

Chego ao portão do cais 
junto a guarita prendo a bike 
De volta aos meus pensamentos 

Como lamento a passagem 
Daqueles com quem fiz lingada 
Os ensinamentos do Valderez 
As dicas do Dario
O sarro com o XTudo
Da precisão do Pimenta  
Famílias  destruídas por uma carga
E penso na minha Família 
E escuto minha  mãe 
Se cuida 
Estou rezando por você

Chego a escada de Portolo 
Ali sessam as lembranças 
Volto a realidade com o coração dolorido 
e com lagrimas  nos ombros 
Me concentrando para poder ao fim do turno 
A casa voltar

27 de mai. de 2018

Maersk cria sobretaxa

Maersk corta serviços com o aumento dos preços do bunker
 Na quinta-feira, o CEO do Grupo Maersk, Soren Skou, disse aos investidores que a Maersk Line reduzirá a capacidade e os serviços feeder em uma tentativa de melhorar a lucratividade. A receita do grupo aumentou bastante no primeiro trimestre, um aumento de 30% (incluindo a adição da Hamburg Süd), mas a perda subjacente quase dobrou para US $ 240 milhões.

Os lucros das principais linhas marítimas da Maersk Group (Maersk Line e frete marítimo da Hamburg Süd, além dos terminais  da APM Terminals) foram de cerca de US $ 500 milhões, puxados para baixo pelo aumento dos preços de bunker e pelas taxas de câmbio desfavoráveis. Os aumentos de preço do Bunker elevaram em US $ 70 o custo de despachar uma  única caixa nas rotas Ásia-UE, disse Skou - ainda que as taxas de frete nessas faixas centrais permaneçam abaixo do ponto de equilíbrio. "No geral, tem sido difícil repassar ... todo o custo do aumento do combustível  para os clientes em contratos, especialmente também em um mercado de curto prazo em algumas áreas onde temos enfrentado forte injeção de capacidade", disse o diretor da Maersk Line, Vincent Clerc. 

Em resposta, Skou lançou uma iniciativa de redução de custos para melhorar a lucratividade. "No curto prazo, vamos fechar alguns serviços", disse Skou ao Wall Street Journal. “O excesso de capacidade é o maior defeito.” Para reduzir, a Maersk irá devolver parte de sua frota afretada para os armadores, reduzindo seus serviços e canalizando mais volume para os portos diretos. A empresa também confirmou que não tem planos de fazer novos pedidos de construção naval pelo menos até o próximo ano - ao contrário do MSC, CMA CGM e HMM, que já encomendaram mais  navios de 22 mil  TEU para suas frotas.

Skou alertou que fatores geopolíticos emergentes - como a reimposição de sanções ao Irã, ou a perspectiva de uma guerra comercial entre os EUA e a China - podem piorar consideravelmente a situação. "Temos de admitir que os americanos tomaram recentemente várias iniciativas que nos pegaram de surpresa", disse Skou à Reuters. "Com as sanções que os americanos devem impor, você não pode fazer negócios no Irã se também tiver negócios nos EUA e temos isso em grande escala".

A Maersk Line já está se retirando do Irã, assim como a Maersk Tankers, que não faz mais parte do Maersk Group. E o risco representado pelas novas sanções vai além de seu impacto direto sobre o comércio: ele também está aumentando os futuros do petróleo, disse Skou, elevando o custo dos bunkers.

A partir deste trimestre, a Maersk está subdividindo seus lucros com AMPT e Maersk Line e, em seguida, recombinando-os em três novos segmentos: Oceanos, Terminais e Rebocagem e Logística e Serviços. O conglomerado diz que fez essa mudança contábil para "alinhar o foco estratégico no crescimento da parte não-oceânica do negócio", reduzindo assim a dependência das taxas de frete. Skou anunciou anteriormente que gostaria que o Maersk Group se tornasse uma empresa de logística totalmente integrada, porta a porta, e não uma transportadora marítima com divisões de logística e portos marítimos.

Em Terminais e Rebocagem (terminais de gateway da APMT mais Svitzer), os maiores volumes levaram a uma forte melhoria no EBITDA, de US $ 140 milhões para US $ 200 milhões. Em Logística e Serviços (ofertas de logística da marca Damco, Maersk Line e APMT), a Maersk reportou EBITDA ligeiramente inferior a US $ 23 milhões, abaixo dos US $ 32 milhões no mesmo período do ano passado.

O Maersk Group também registrou um ganho contábil  de US $ 2,6 bilhões com a venda da Maersk Oil , juntamente com outros ganhos de operações descontinuadas, levando a um lucro líquido de US $ 2,8 bilhões no trimestre.

No tocante ao Brasil 
 Num  momento onde a sociedade vai as ruas contra uma politica de livre mercado nos combustíveis implantada pela Petrobras com aval do governo federal ,politica esta que e adotada pela maersk  .
A sobretaxa de combustível passará a ser cobrada a partir de 1º de junho .
Os valores serão de US$ 60 para contêineres Teu e de US$ 120 para contêineres Feu. No caso de contêineres "reefers",  serão de US$ 90 por Teu e de US$ 180 por Feu.

O brasileiro já esta acostumado mais  uma variação de aumento , com certeza não veremos os navios perfilados nos canais de acesso dos portos apitando em uma paralisação ou   os usuários dos serviços nas ruas e praças  junto aos escritórios dos armadores apitando ou batendo panela  , mas daria uma bela mini serie das 11 .


https://www.maritime-executive.com/article/maersk-cuts-service-network-as-bunker-prices-rise#gs.sOuEQLw

26 de mai. de 2018

Futuro Terminal ou Terminal do futuro

Kalmar produz inédito terminal automatizado  para ‘navio eléctrico da norueguesa Yara
A Kalmar, empresa que integra a Cargotec, firmou com a Yara uma parceria na qual se comprometeu a fornecer equipamentos, software e serviços totalmente autónomos para a edificação de uma solução exclusiva de movimentação de conteineres totalmente digitalizada nas instalações da Yara em Porsgrunn, na Noruega.

Terminal do futuro: rumo ao ideal ecossistema de ‘zero emissões’
Desta forma, todas as operações que envolvam o navio autónomo e eléctrico Yara Birkeland (destinado ao transporte de conteineres) serão levadas a cabo num ecossistema totalmente eficiente de ‘zero emissões’. O pedido foi registado no segundo trimestre de 2018 e a entrega está prevista para ser concluída durante o segundo trimestre de 2020 para a movimentação de contêineres no cais de Porsgrunn, na Noruega, para a empresa de fertilizantes e armador Yara. Isso significará que todas as operações necessárias relacionadas à primeira embarcação de contêineres autônoma e elétrica do mundo, a Yara Birkeland, serão conduzidas de maneira totalmente automatizada e com emissões zero .

A embarcação é uma colaboração entre a empresa agrícola norueguesa Yara e Kongsberg, a DNV GL, a Marin Teknikk, a SINTEF Ocean e as autoridades marítimas e portuarias norueguesas. A Kongsberg é responsável pelo desenvolvimento e fornecimento de todas as principais tecnologias capacitadoras, incluindo os sensores e integração necessários para operações remotas e autônomas.

A Yara Birkeland reduzirá as emissões e melhorará a segurança nas estradas ao remover anualmente 40.000 viagens de caminhão em uma área densamente povoada da Noruega. A embarcação transportará fertilizantes da fábrica de Porsgrunn da Yara através de vias navegáveis ​​interiores para os portos marítimos de Larvik e Brevik, uma jornada de 31 milhas náuticas.

A Kalmar fornecerá o sistema automatizado de carga e descarga da Yara Birkeland, bem como o transporte entre as instalações de produção de fertilizantes e o cais. O sistema será implementado em fases, com o nível de automação aumentando gradualmente ao longo do tempo.
O projeto envolve várias inovações para a Kalmar, incluindo o primeiro pórtico montada em trilho totalmente automatizada para o gerenciamento de carregamento, descarregamento e armazenamento de contêineres. Além disso, os AutoStrads FastCharge da Kalmar percorrerão as vias públicas no parque industrial de Porsgrunn, que também é usado pelo tráfego rodoviário normal.
Primeira cadeia de abastecimento totalmente digitalizada e eléctrica do mundo
O acordo consiste, essencialmente, na instalação de um terminal de conteineres dotado de processos de automatização no que toca ao transporte da carga entre a fábrica e o porto. Com este acordo, a Yara Birkeland não se torna apenas a primeira embarcação eléctrica e autónoma do mundo, torna-se a primeira cadeia de abastecimento totalmente digitalizada e eléctrica do mundo, com todas as operações, incluindo carga, descarga e navegação conduzidas de maneira totalmente autónoma, declarou Tove Andersen, membro da Yara.

Para que tudo isso se concretize,  será disponibilizado o sistema Kalmar Automated Rail Mounted Gantry, vários Kalmar FastCharge AutoStrad, um estação de carregamento eléctrico FastCharge e os adjacentes sistemas de interligação comunicacionais e de segurança.



https://revistacargo.pt/%E2%96%BAyara-kalmar-terminal-autonomo-feeder/

25 de mai. de 2018

A Greve dos Pombos

Ferrovias suspendem carregamentos,imensas filas de caminhões , operações portuárias de 45 navios são interrompidas, mais de 35 mil trabalhadores de 24 categorias de braços cruzados, interventores preocupados com desordens e ameaça eminente de tropas militares para estabelecer a ordem e retomar as atividades.
 Esse era o Porto de Santos, no final de março de 1980. Tão inoperante, que Nem os pombos apareceram no cais  para poder comer os grãos deixados ao relento. 
O reflexo de todo o contexto político e social, a partir de 1964, quando houve o Golpe de Estado, até duas décadas depois.

Causou grande impacto em todo o País a greve dos trabalhadores portuários de Santos  em meio ao governo da ditadura militar, provocando o deslocamento de tropas da marinha para assumirem o controle do porto, então considerado área de segurança nacional. 
A primeira greve depois de 64
O impasse nas negociações verificado no quinto dia da greve dos portuários de Santos, em conseqüência de sua recusa à contraproposta salarial apresentada pela CDS Companhia Docas de Santos,  concessionária privada dos serviços portuários que levou à paralisação total do maior complexo portuário da América Latina.
Mas as origens desse movimento ocorreu quando a Sunamam  Superintendência Nacional da Marinha Mercante,concedeu aos estivadores um índice de produtividade de 13,7 %. Os doqueiros, que receberam apenas três %, requereram equiparação, por manipularem em terra as mesmas cargas que os estivadores manipulam a bordo. Por isso, reivindicaram 15 %.
Atitude que  formou um pacto entre quatro categorias profissionais portuárias, a Unidade Portuária.  
No dia 5, uma delegação de dirigentes portuários esteve em Brasília, comunicando ao ministro do Trabalho, Murilo Macedo, que a categoria iria à greve no dia 16, se o Governo não concedesse a %.
Murilo Macedo não entrou no mérito das reivindicações, encaminhando os sindicalistas à sua assessoria econômica. Recomendou que apresentassem seus argumentos aos técnicos do Ministério do Trabalho. Macedo ficou de ouvir a opinião da assessoria econômica, prometendo que se entenderia com outras áreas governamentais, dentre estas o Ministério dos Transportes, para tentar resolver a questão.
No mesmo dia, ainda em Brasília, os representantes sindicais conseguiram uma entrevista com o presidente da Portobrás, Arno Oscar Markus, que prometeu servir de mediador entre os trabalhadores e a Cia. Docas, garantindo que não haveria greve no Porto de Santos.
Paralelamente, a Câmara Municipal de Santos aprovava requerimento de Mantovani Calejon, apoiando a reivindicação dos trabalhadores portuários, além de apelar ao ministro Murilo Macedo para que estudasse com boa vontade o pedido dos doqueiros.
No dia 6, representantes dos quatro sindicatos portuários santistas estiveram com o prefeito Paulo Gomes Barbosa, que mostrou a eles cópia de telex dirigido ao almirante Maximiano Eduardo da Silva Fonseca, ministro da Marinha, apoiando a reivindicação, e informou ter mantido contatos pessoais, no mesmo sentido, com o ministro dos Transportes, Eliseu Resende.
Enquanto isso, Del Bosco Amaral, deputado federal pelo PMDB, enviava ao presidente da República dramático apelo em favor dos portuários. E o deputado estadual Rubens Costa de Lara também intercedia em favor dos doqueiros.
Na sexta-feira, dia 14, o Governo comunicava que aceitava negociar com os portuários, pedindo novo prazo para discutir a reivindicação da categoria. A notícia foi transmitida durante assembléia de dois mil doqueiros santistas, que protestaram contra a dilatação do prazo: "Concedemos 15 dias; agora, o aumento ou a greve".
"Há 16 anos vivemos o regime de opressão e promessas não cumpridas. Não acreditamos mais em nada. Nós, portuários, recebemos essa proposta do Governo, prometendo o diálogo em troca de um novo prazo, como uma tentativa da parte dos assessores do presidente da República de esfriar o nosso movimento. Agora é tarde demais. Podem, os ministros, sentar à mesa de negociações a partir de segunda-feira (ontem); os trabalhadores esperarão o resultado, com o porto parado".

A decretação da greve ocorreu exatamente às 22h40 de domingo, a primeira a ser deflagrada no porto desde 1964, depois de muitas discussões entre os 7.500 trabalhadores que se reuniram no Ginásio Municipal Antônio Guenaga. O secretário da Federação Nacional dos Portuários, Arlindo Borges Pereira, assumiu o comando da greve, em nome dos sindicatos portuários da Baixada, enquanto o presidente da Confederação Nacional dos Marítimos, Romulo Augustus Pereira de Souza, rumava para Brasília para comunicar oficialmente às autoridades federais.
Movimento com unidade absoluta e completa calma, mesmo assim  200 fuzileiros navais, trazido pelo contratorpedeiro Santa Catarina andavam pelo cais santista para manter a ordem .
http://www.novomilenio.inf.br/santos/h0156b.htm

24 de mai. de 2018

O custo do desrespeito social ao estivador

Hamn4an:
"A divisão 4 da Hamnarbetarförbundet, também conhecida como Hamnfyran, tentou obter um acordo coletivo ou uma solução tripartite no porto de Gotemburgo por muito tempo. No entanto, o empregador APM Terminals não aceitou as propostas  e o mesmo foi o responsável  pelos movimento sociais ,cruzadas de braços e greves   no porto.

Em 2017, Hamn4an, entre outras coisas,  bloqueou as continuações de horas extras. O empregador, por sua vez, realizou o chamado lockout, o que significou que o porto parou por um total de 371 horas ".
E como fico a desorientação dos estivadores locais no tocante a saúde e segurança  
Os empregadores estão colocando em risco a vida dos trabalhadores nas docas nos portos da Suécia; essa é uma nova baixa para essas empresas.
Esses números coincidem com a realidade , mas de fato quem paga esta conta .

Negócios suecos: o conflito laboral  no porto custou 4,5 bilhões
"Causou grandes danos"
A empresa sueca deu à empresa Damvad Analytics a tarefa de calcular o conflito que custou à comunidade empresarial. Em um seminário na terça-feira, os números foram apresentados.
- Desde os anos 70, temos dois sindicatos competindo entre si nos portos da Suécia, mas é principalmente no porto de Gotemburgo, o maior da Suécia, onde é perceptível, diz Peter Jeppson, presidente da comunidade empresarial sueca, na apresentação do relatório e continua:
- O conflito levou a grandes danos, mas não sabemos quanto foram os danos, por isso solicitamos esta investigação.

Segundo o relatório, isso equivale a 4,5 bilhões de coroas, um terço dos custos é devido ao aumento dos custos de logística devido a redirecionamentos de mercadorias. Os outros três bilhões de coroas são devidos aos atrasos de transporte .

Além dos custos de atrasos e redirecionamentos, a Confederação de Empresas Suecas os eventos geraram significativo aumento nas  emissões de dióxido de carbono de 70.000 toneladas - o que equivale a 80 milhões de coroas suecas nos custos socioeconômicos.

APM: "foi exposto ao Hammerbetarförbundet"
A APM Terminals não participou do relatório e, portanto, não pode comentar.
- Eu posso encaminhá-lo para a empresa sueca, que fez o relatório até agora, diz Annika Hilmersson, gerente de comunicações da APM.
A APM Terminals vê que tem alguma responsabilidade pelos custos do conflito no porto?
- A APM Terminals foi exposta ao Sindicato dos estivadores Martelo quando bloqueou novos bagres, empregados com contrato a lingada feita e pessoas extras, em nossas operações por 153 dias em 2017. Nosso negócio depende da flexibilidade do flexi, já que nem sempre nossos clientes chegam no horário . Como empregador, estamos na situação de um momento, diz Hilmersson e acolhe a investigação do governo sobre o direito de greve.
"Eles só querem limitar o direito de greve"
O presidente da Harbour Employers, Eskil Rönér, alega que os custos se devem principalmente ao bloqueio do empregador. 
Você vê que tem alguma parte responsável pelos custos que o conflito levou?
- Nós assumimos a responsabilidade pelas conseqüências de nossas próprias ações de luta pleo campo de trabalho e respeito social , mas não pelo bloqueio do empregador e os custos que isso implicava ", disse Rönér.

Em um comunicado de imprensa, o sindicato critica o relatório da lei e acredita que é uma parte do impacto do governo que restringe o direito de greve.
A investigação do governo sobre a mudança do dever de greve deve ser concluída em 30 de maio e um relatório final será apresentado em 20 de junho.
O que nos deixa perplexos e o retorno ao seculo passado  nas questões de diretos trabalhistas ,patrocinado pelo empresariado e idolatrado pelos políticos . 

https://tech2.org/sweden/swedish-business-the-harbor-conflict-cost-4-5-billion/

Conteiner escorrega no Convés

A queda de uma pilha de contêineres que desmoronou como uma torre de cartas no convés do Maersk Lima destruiu vários carros de luxo  no Porto de Buenos Aires.

 O incidente que ocorreu na manhã de quarta-feira nas instalações do Terminal 4, operado pela APM Terminals na capital argentina. Através de um comunicado, a APM Terminals informou que o fato não foi devido a um mau procedimento no manuseio dos contêineres, mas por causa da desestabilização sofrida por eles depois que o navio enfrentou uma forte tempestade depois de sair do Porto de Paranaguá, no Brasil.

 "A APM Terminals Buenos Aires só participou da Maersk Line Maritime Line na realocação dos contêineres caídos para sua posterior saída do Porto de Buenos Aires", acrescentou o operador portuário.

No porto afirmam que os carros de luxo BMW já chegaram destruídos a Buenos Aires

São várias unidades do modelo X2. A empresa deu outra explicação.
A empresa APM Terminals, que atua no porto da Cidade de Buenos Aires, divulgou um comunicado em que afirma que os carros de luxo da BMW que foram destruídos após uma avalanche de contêineres já chegaram ao país atingido.

Na carta, a APM Terminals afirma que os contêineres afetados não sofreram o acidente no porto, mas aconteceram no mar, no auge do Brasil. Isso contradiz o que o BMW Group Argentina relatou, que após a divulgação das imagens descreveu como "infortúnio" o "manuseio dessas unidades no porto".



https://portalportuario.cl/caida-de-contenedores-en-puerto-de-buenos-aires-destruye-autos-de-lujo/
https://www.clarin.com/autos/puerto-autos-lujo-bmw-destruidos-buenos-aires_0_HkDX2OVJQ.html

23 de mai. de 2018

Mais um acidente

Mais Um Acidente

 Estivador sai ileso após acidente com straddler carrier
Operador de 41 anos de idade não saiu ferido  na tarde de terça-feira, depois de sua máquina ter tombado na esquina do cais da 1700, do Deurganckdok,em cima de alguns contêineres. 
Na operadora portuária DP World.

Este já é o segundo acidente com um straddle carrier que acontece  em pouco tempo. Os  Straddler carriers são usados ​​para transportar contêineres do patio para o navio e vice versa. Um mês atrás, no cais 913 aconteceu um acidente ,com sorte  seu operador teve somente ferimentos leves, apos o choque com uma construção de metal. O operador que estava preso na cabine acabou por cair no chão sozinho.
 Mas o que esta acontecendo  na operação ,problema  mecânico ,descuido ,falta de habilitação ,alta velocidade  constante para manter a produção , qual e o fator de risco . O porto de Antuérpia tem o melhor centro de treinamento de trabalhador portuário da Europa de uma autoridade portuária OCHA  , a entender ou em comparação seria como o CENEP do Porto de Santos.
 A organização de empregadores CEPA diz que o treinamento para os operadores  de straddler carrier  no OCHA tem a formação na condução segura e eficiente com um straddle carrier ,prevenção de acidentes / lesões e danos aos produtos durante o transporte , equilíbrio entre a condução segura e eficiente .Alem do teórico e o pratico tem o o reforço  de simuladores .

 O treinamento dura cinco semanas e é seguido por um exame.Para que o estivador possa fazer parte das escalas de trabalho na função.
A CEPA espera treinar pelo menos 350 trabalhadores portuários para se tornar um operador apto as escalas  de um operador portuário na função de operador  de straddle  carriers este ano. As grandes empresas DP World e PSA pedem operadores extras há muito tempo.

Um operador de straddle carrier  move  contêineres pelas vias do terminal .

Um straddle carrier é um equipamento  em pneus altos que pode passar por cima de um contêiner e no centro , pegá-lo, por meio de spreader , transportá-lo e depois colocá-lo de volta em algum lugar. Um 'straddle carrier' é um  tipico veículo portuário europeu.  Você recebe instruções de carregamento e descarregamento  por meio de um sistema de computador. 
O que de fato preocupa e a cobrança por parte dos operadores pela aceleração da formação e a redução de requalificação quando da aquisição de novos modelos de straddle carrier.
No tocante aos acidentes somente haverá comentários apos a divulgação dos laudos pelos órgãos competentes .
https://www.hln.be/regio/antwerpen/dokwerker-ongedeerd-na-ongeval-met-straddler~a10f7ad9/

22 de mai. de 2018

O custo de salvar um conteiner

Operação para o salvamento da  Carga do navio  Maersk Honam  está programada para atracar no Porto de Jebel Ali , onde a operação para descarregar os conteineres finalmente começará quase três meses apos  o navio ter sofrido  um grande incêndio no Oceano Índico.

O MSC, parceiro da Maersk Line na 2M, informou  que a atracação da Maersk Honam está atualmente confirmada para a quarta-feira, 23 de maio, e que as operações de descarga de todos os contêineres  serão realizadas imediatamente.


Espera-se que as operações de descarga demorem entre 4 e 7 dias.


De acordo com a MSC, salvadores exigiram esta semana uma garantia financeira no valor de 42,5% do custo, seguro e frete de todas as cargas a bordo, além de um adicional de 11,5% exigido como um depósito médio .

Separadamente, a Mediterranean Shipping Company solicitou aos seus clientes com carga sobrevivente uma taxa adicional para “cobrir todos os custos adicionais de transbordo, armazenamento e transporte que a MSC enfrentará como resultado deste lamentável acidente”. O valor solicitado é de US $ 750,00 por contêiner de 20 pés e US $ 1.250,00 por cada 40 pés.


Fundo Maersk Honam

O Maersk Honam, de 353 metros, pegou fogo no Mar da Arábia em 6 de março durante uma viagem da Ásia para a Europa através do Canal de Suez, tragicamente reivindicando a vida de cinco tripulantes quando se partiu o bloco de acomodações do Honam . Um deles morreu durante a evacuação, três foram encontrados a bordo em 12 de março e um está desaparecido e supostamente morto.  O navio foi eventualmente rebocado para um ancoradouro em Jebel Ali, onde chegou no mês passado.

Devido à substancial perda de carga do incêndio, a armadora Maersk Line foi forçada a declarar a média geral, o que significa que todas as perdas, incluindo os custos com salvatagem, porto e transferência, são compartilhadas entre as cargas sobreviventes.

Smit e Ardent são os salvadores nomeados na resposta. Richards Hogg Lindley foi nomeado para coletar a segurança necessária do GA.
A Maersk Honam informou que a Maersk estava transportando um total de 7.860 contêineres, correspondendo a 12.416 TEU (equivalente a vinte pés) quando o incêndio começou.

Apesar da intensidade e persistência do fogo, os BCOs podem recuperar sua carga, dependendo de sua localização. "Com base em uma quantidade limitada de informações, a MSC espera razoavelmente que uma proporção substancial da carga localizada atrás da casa de comando na área de acomodação do navio esteja em boas condições", disse a MSC em uma atualização do cliente. "Infelizmente, devemos supor, com base nos detalhes até hoje, que a maioria dos contêineres localizados em frente à área de acomodação são danificados pelo fogo, pelo calor ou pela água usada para combater o incêndio."


A extensão total do dano ao navio e sua carga será estabelecida assim que os contêineres forem descarregados . As seguradoras marítimas esperam que os danos totalizem centenas de milhões de dólares, de acordo com a British International Freight Association.


A Maersk confirmou que a embarcação estava transportando mercadorias perigosas, mas diz que é cedo demais para saber se elas contribuíram para a explosão do incêndio.

 A Maersk afirma que todos os contêineres de mercadorias perigosas conhecidos no Honam foram devidamente estivados de acordo com o código IMDG. No entanto, a empresa deixou de armazenar mercadorias perigosas ao lado do bloco de acomodações junto a casa de comando  e da casa de maquinas em seus outros navios, como medida de precaução, enquanto investiga a causa do incêndio.
http://gcaptain.com/cargo-operations-to-begin-on-maersk-honam-next-week/
https://www.maritime-executive.com/article/maersk-honam-seeks-refuge-at-port-of-jebel-ali#gs.famh6Yk 

21 de mai. de 2018

Navio RORO em Chamas

Incêndio rompe no convés navio RORO  atracado no Porto de de Incheon na  Coréia
Mais de 1.200 automóveis supostamente em chamas ,um incêndio explodiu a bordo do navio Auto Banner por volta das 9h40 (horário de Seoul), na segunda-feira no Porto de Incheon, na Coréia.

   O incêndio irrompeu em um convés de carga e resultou de um motor superaquecido em um dos carros usados ​​destinados à Líbia pegando fogo,a tripulação foi evacuada.

  O navio já estava carregado com 2.100 carros  ​​ .

   inicialmente três equipes de oito pessoas  cada estão envolvidas no combate a incêndios, mas as autoridades disseram que há poucas esperanças de extinguir o fogo ou controlá-lo durante a noite.
Alguns moradores relatam que há uma fumaça espessa saindo do porto com forte cheiro químico.

O combate ao fogo esta sendo realizado por carros pipas , helicópteros e rebocadores ate o momento com um contingente de 150 bombeiros .

O navio RORO AUTO BANNER, IMO 8608066, GT 54222, construído em 1988, bandeira do Panamá, gerente Hyundai Glovis.

Localização de Incheon na Coreia do Sul.
é uma cidade e importante porto da Coréia do Sul situado na costa oeste do país, um oeste da capital Seul Composição: O Porto de Incheon consiste de instalações portuárias como Porto Interior, Porto Norte, Porto Sul, incluindo o interior de terminais de passageiros costeiros e internacionais, e Porto Novo.
Instalações: Total de 128 berços (comprimento total do berço 29km → 128 embarcações podem usar os berços ao mesmo tempo)

http://maritimebulletin.net/2018/05/21/car-carrier-major-fire-incheon-photos-video/