22 de jun de 2017

Ha 17 Conferência internacional de treinamento portuário Hamburg


Com o tema Modularização e certificação do porto, transporte e da logística no exemplo de normalizar currículos na indústria logística

Há 17 Conferência internacional de
treinamento portuário que ocorreu na Alemanha na cidade de Hamburg no ano de 2003
Chegou as seguintes conclusões os grupos de trabalho:

A terceira sessão da 1a conferência internacional de
treinamento portuária previu a seleção de quatro grupos de trabalho com o propósito de alcançar conclusões dos seguintes assuntos:

A exigência necessária para as habilidades dos
portuários que venham a segurar uma aplicação prática do código de segurança internacional dos portos e navios adotado pelo OMI.
O papel dos operadores de terminais portuários de fornecedores para estabelecer padrões mínimos para o treinamento portuário .
O benefício de programas modulares para treinamento aos níveis de competência exigidos pelo transporte e pelas empresas logísticas.
Os procedimentos a ser seguidos conseguindo comparáção ao treinamento internacional.
Conclusões alcançadas pelos grupos de trabalho em Hamburg.
As exigências de habilidade necessárias para segurar aos portuários uma aplicação prática do  ISPS Code.

Para facilitar discussões neste assunto as seguintes considerações foram submetidas ao grupo de trabalho:

A adoção do código de segurança internacional de portos e navios pelo OMI chama atenção para um debate prendido nas exigências de habilidade necessárias para os portuários em assegurar uma aplicação prática deste novo instrumento.Este debate poderia ser expandido para considerar igualmente se há a princípios de padrões portuários mínimos para permitir a verificação internacional de sua operação sob práticas aceitáveis, incluindo aquelas relativas à segurança.
Para aplicar corretamente réguas e regulamentos na segurança, os
trabalhadores portuários devem adquirir competências pré-estabelecidas.Tais competências não podem ser determinadas separadamente daquelas exigidas para executar com competência as suas responsabilidades.
Ditas , as competências para cada função devem ser determinadas com o propósito de melhorar todos os aspectos das
operações portuárias, incluindo a segurança portuária.
Os sistemas de aprendizagem usados para que os
trabalhadores portuários em treinamento encontrem estas competências exigidas podem ser da competência nacional.
Não obstante, os procedimentos de verificação para fixar as normas nos
portos conseguem tais competências devem contribuir com o OMI com o propósito de controlar a execução apropriada do código acima.

Ou seja o tempo tem agora verificação não somente para que os
portos apliquem práticas internacionais reconhecidas de segurança mas que a operação total está seguindo práticas e normas aceitáveis , incluindo a segurança.
O projeto de programas educacionais modulares internacionais ganharia a relevância se este for reconhecido.

Conclusões alcançadas:

O ISPS Code é um instrumento novo que exige em um número de edições para o esclarecimento no internacional, regional e no nível nacional:

a) O esclarecimento nas partes que move o código e tem que se cumprir.
As diferentes obrigações foram estabelecidas pelos Estados Unidos da América e pela União Europeia com respeito à aplicação do código
b) Esclarecimento na definição da relação do enviar-porto assim como as áreas portuárias com coberta do ISPS Code. 
c) Definição desobstruída a respeito do que é compreendido internacionalmente pela segurança portuárias do porto. Em algumas línguas os termos conduzem às vezes a controvérsias com respeito a sua interpretação de segurança.

d) Esclarecimento para a autoridade nacional responsável para executar o  ISPS Code. Alguns países podem considerar que a responsabilidade para a aplicação do código deve descansar com a polícia ou nas forças armadas. Isto pode ter consequências diretas nas edições relativas à
educação e formação nas matérias relacionadas com a segurança portuária.

e) Interpretação oficial no nível nacional nas provisões estabelecidas no código.O projeto de um programa modular internacional para
treinar os trabalhadores na segurança portuária na linha das provisões no código é considerado praticável Os procedimentos da certificação reconhecidos internacionalmente devem ser estabelecidos pelo OMI para assegurar a entrega apropriada de um programa internacional. O projeto do programa deve ser baseado nas diretrizes de ILO-IMO que estão sendo tornadas comum por ambas as organizações.

O programa modular internacional propõem beneficiar  muitos países, particularmente aqueles em processo de desenvolvimento.Os esforços de treinamento não devem ser arranjados somente melhorando uma área específica da atividade
portuária.
Estes esforços devem levar a melhoria de todos os aspectos das operações portuárias.
Os centros  de treinamento portuários das autoridades portuárias devem procurar entregar os programas de treinamento exigidos.
Imagem olhar do cais