7 de ago de 2017

As Multas do Cais Santista

Cetesb multa terminais portuários em mais de R$ 1 milhão
Autuação é decorrente de uma vistoria surpresa realizada
A Compahia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) emitiu, no dia 4 de agosto, multas contra  terminais do Porto de Santos, após flagrantes de poluição durante as operações portuárias. Rumo e Copersucar, que ficam em Outeirinhos. Na ocasião, foram constatadas irregularidades nas esteiras que transportam os grãos e nas instalações dos dois terminais.

A multa para a Rumo foi de R$ 1 milhão, pela poluição causada pelas emissões de material particulado para a atmosfera. Isso aconteceu através das portas de duas unidades do terminal, durante a descarga de açúcar, e de uma outra unidade, por ocasião da descarga de milho. Neste caso, os sistemas de controle de poluentes estavam fora de operação e também foi constatado material particulado emitido por telhados laterais de um armazém, durante a estocagem de milho.

Copersucar
A multa  foi de R$ 600 mil, por conta das emissões de material particulado e quedas de palhas de milho pela correia transportadora do equipamento carregador de embarcações.
Na vistoria dos órgãos ambientais, também foi constatada a emissão de poluentes durante o carregamento do navio SBI Conga, com grãos de milho, o que pode causar danos à saúde humana e exigiu medidas que evitem o problema.
E multou a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) em R$ 500 mil em decorrência de um vazamento de fosfina em um dos 115 cilindros de gases tóxicos que estão armazenados no Valongo.O vazamento aconteceu enquanto a autoridade portuária fazia a transferência dos objetos do armazém 11 para o 10, entre 29 de julho e 01 de agosto. O cilindro vazado foi encapsulado e permanece em observação no armazém 10 do Valongo.

A Codesp já havia sido multada pela Cetesb em duas oportunidades em virtude do armazenamento irregular. A primeira ocorreu ano passado, e custou R$ 25 mil aos cofres da estatal. A segunda autuação foi na última sexta-feira (28).

A Caramuru em  janeiro teve interditada 4 esteiras rolantes  devido a emissão de poeiras e odores citrica ,proveniente da operação de embarque em 2012 ja havia recebido 3 multas no valor de R$ 494 mil .  T-Grão , por emissão de poluentes na atmosfera , durante o carregamento de milho pleo shiplouder no porão do navio MV Capitain  esta foi a terceira multa a primeira foi em fevereiro de 2014 no valor R$ 141.000,00 a segunda em junho de R$70.000,00 totalizando R$ 494.550,00 .E multou em R$22.500.000,00 o Terminal Quimico de Aratu/Tequimar, do grupo Ultracargo  e tera que cumprir cinco exigências .

Levando em conta  local da ocorrência,fonte causadora da ocorrência, fato,causa, volume,produto: , poluição do estuário e abrangência  e complexidade do impacto. 
Algo que deixa a comunidade portuária , preocupada e que estes terminais são por parte dos funcionários públicos e especialistas portuários considerados modernos terminais prova esta que os trabalhadores que são expostos a tal fatores de risco a vida humana não tem direito ao risco portuário e insalubridade e periculosidade  .Mas o que de fato nos preocupa e estes valores nãos serem investidos na região que sofre danos devido a ganancia dos seus empregadores .

Nenhum comentário:

Postar um comentário